A importância de moradia digna para todos

O tema moradia tornou-se, em nosso país, um problema crônico que necessita ser tratado com atenção pelos nossos governantes. E com a aplicação do remédio adequado! A complexidade e o grau de importância que integram a questão habitacional exigem empenho para que esta injustiça social seja sanada e para que o País reduza, vez por todas, a desigualdade social que hoje salta aos nossos olhos.

Para as famílias de baixa renda, as que mais sofrem com a recessão, principalmente nas grandes metrópoles, onde a vida é mais cara, o que resta é apelar para barracos construídos precariamente onde existir espaço vazio – praças públicas, sob viadutos, na encosta de morros, na beira de rios ou em áreas de mananciais –, expostos a constantes mudanças climáticas que podem se transformar em verdadeiras tragédias a todos que ali vivem.

Mas muitas famílias que moram em casas humildes, construídas em bairros periféricos das cidades grandes, também padecem do mesmo mal e, ainda, com a ausência de infraestrutura, escolas, postos de saúde, policiamento, demais serviços públicos e, muitas vezes, até de água e luz. E o problema segue se avolumando.

Um exemplo do tamanho da encrenca que virou o tópico habitação foi a decisão, na última 2ª feira, 2, do Tribunal de Justiça de São Paulo, de reintegração de posse do terreno onde o Movimento dos Trabalhadores Sem -Teto de São Bernardo do Campo ergueram acampamento. A utilização da força policial contra as 7,1 mil famílias que estão acampadas no local, caso a decisão judicial seja cumprida, é o que mais vem causando tensão e expectativa entre os acampados e os que acreditam e defendem esta causa.

A Força Sindical sempre lutou por moradias para os mais pobres, por emprego e dignidade para todos. Torcemos para que o diálogo e o bom senso prevaleçam no difícil impasse de São Bernardo e que tudo seja contornado de forma pacífica. E que esta questão sirva como um exemplo para que o problema das moradias para todos seja resolvido, e o Brasil desperte definitivamente para um futuro mais justo!

João Carlos Gonçalves – Juruna
Secretário-geral da Força Sindical e vice-presidente dos Metalúrgicos de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *