Ciro Gomes defende revogação da reforma trabalhista

Da Redação

O pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes, afirmou nesta terça-feira, 12, que se eleito, revogaria a reforma trabalhista. A fala ocorreu durante encontro realizado na Força Sindical, em São Paulo.

Para o ex-governador do Ceará, a aprovação da reforma representou um grande atraso para o país. “ A reforma  é uma selvageria e precisa ser revogada. Não criou empregos e precarizou as relações de trabalho. O trabalho intermitente é perverso. Como é que um cidadão vai receber 60% do salário mínimo e ainda ter que contribuir para Previdência Social? A conta não fecha”.

Promovido pela central, o encontro faz parte de uma série de debates com presidenciáveis para que apresentem suas propostas de governo aos trabalhadores.

“ Nosso objetivo aqui é promover o diálogo com os candidatos, é fortalecer a democracia, a pluralidade de ideias, pois o extremismo não resolverá o problema do nosso país”, disse João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Força que conduziu o debate.

No encontro, Ciro defendeu o saneamento das contas públicas, a retomada da proposta de industrialização, a revogação da Emenda Constitucional 95, que congela verbas da saúde e da educação por 20 anos.

O candidato também aposta na volta da contribuição sindical e na participação das centrais sindicais na construção de uma reforma trabalhista equilibrada.

“ O que defendo é uma nova reforma trabalhista, construída com a ajuda das centrais sindicais, que defenda o trabalho. Só o capitalista atrasado que não entende a necessidade de os trabalhadores se organizarem”, finalizou.

Para os próximos debates, a Força Sindical também convidou Aldo Rebelo (Solidariedade), Manuela D’Ávila (PCdoB), Geraldo Alckmin (PSDB), Paulo Rabelo de Castro (PSC), Marina Silva (REDE), Rodrigo Maia (DEM) e o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) que ainda será anunciado.

Nos links abaixo você poderá assistir a íntegra do encontro do presidenciável, Ciro Gomes (PDT).

Parte 1

Parte 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *