Descartada greve de ônibus da Translitoral, em Guarujá

Fonte: Assessoria de imprensa do sindicato

Motoristas e demais empregados conquistaram correção salarial de 2,5% e 4,35% no vale-refeição

Está descartada a greve nos ônibus municipais de Guarujá. Em assembleia na noite desta terça-feira (3, foto), os motoristas e demais empregados da Translitoral aceitaram proposta da audiência de instrução e conciliação, às 15 horas, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

O acordo estabelece reajuste salarial de 2,5%, sendo 1,69% desde a data-base de maio, correspondente à inflação de um ano, e o restante, de 0,81%, em outubro. A diferença terá efeito retroativo a maio e será paga, em outubro, de uma só vez.

Na audiência, o sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários de Santos e região conseguiu aumentar de 7,41% para 9,17% o retroativo, em forma de abono, compensando o parcelamento, o que foi aceito pela assembleia.

O vice-presidente do sindicato, José Alberto Torres ‘Betinho’, destaca a importância dos trabalhadores terem resgatado a perda inflacionária e conseguirem aumento real, embora parcelado.

O sindicalista lembra que o pessoal conseguiu a aplicação dos 2,5% na cesta-básica e na participação nos lucros ou resultados (plr). O vale-refeição diário foi de R$ 23 para R$ 24, com aumento de 4,35%. Todos os valores são retroativos a maio.

Em assembleia às 5 horas de hoje (3), a categoria suspendeu a greve que havia decretado na quinta-feira passada (28). O motivo da suspensão foi justamente a audiência no TRT, segundo o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana.

O sindicalista lembra que a empresa conseguiu uma liminar do TRT, na sexta-feira (29), determinando a circulação de 80% da frota de 135 ônibus. A assembleia desta noite foi no sindicato dos servidores públicos municipais de Guarujá. A Translitoral atende 80 mil passageiros diários, com 34 linhas e 133 ônibus.

Saúde
Segundo o secretário-geral do sindicato, Eronaldo José de Oliveira ‘Ferrugem’, os trabalhadores continuam preocupados com a possibilidade de suspensão do plano de saúde por falta de pagamento pela empresa,

Santos e região
Rodoviários de carga aprovam
convenção coletiva de trabalho

Em assembleia na noite desta segunda-feira (2), os trabalhadores das empresas de transporte de cargas de Santos e região aceitaram contraproposta para a convenção coletiva da data-base de maio.

O documento, que será assinado por representantes dos sindicatos dos trabalhadores em transportes rodoviários e das empresas de transporte comercial de carga (Sindisan), estabelece reajuste salarial de 2,5%.

O percentual será aplicado nas cláusulas econômicas e retroativo a maio, em forma de abono, com pagamento na próxima folha. A partir de julho, é incorporado aos salários.

O vice-presidente do sindicato dos trabalhadores, José Alberto Torres Simões ‘Betinho’, destaca como ponto positivo a manutenção de 30 horas extras mínimas garantidas aos 3.500 integrantes da categoria.

O secretário-geral do sindicato, Eronaldo José de Oliveira ‘Ferrugem’, por sua vez, enaltece a manutenção de todas as cláusulas do acordo de 2017.

Durante a assembleia, Beto e Ferrugem falaram sobre as dificuldades encontradas nas negociações, devido ao momento de crise no setor produtivo do país e, consequentemente, no transporte.

Os sindicalistas explicaram os efeitos negativos da reforma trabalhista e seus impactos na dinâmica dos sindicatos, levando muitas direções e categorias a momentos críticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *