Dez mil pessoas presentes no “Dia do Basta” em São Paulo

Fonte: Assessoria de imprensa da Força Sindical

Milhares participaram em atos pelo País

Aproximadamente dez mil pessoas participaram hoje, dia 10, em frente à Fiesp, na Avenida Paulista, em São Paulo, do “Dia do Basta – Em Defesa do Emprego, da Aposentadoria de dos Direitos Trabalhistas”. O ato, promovido pelas centrais sindicais, reuniu em São Paulo trabalhadores de diferentes categorias, como metalúrgicos, químicos, professores, trabalhadores em condomínios e edifícios, na indústria da alimentação e em refeições coletivas, entre outros e milhares por todo o País.

O presidente interino da Força Sindical, Miguel Torres, destacou que os três eixos escolhidos para o ato de hoje – emprego, reforma trabalhista e reforma da Previdência – fazem parte da Agenda Prioritária, documento composto por 22 reivindicações pelas quais o movimento sindical lutará neste ano. “Levamos este documento para os candidatos a presidente da República, mesmo aqueles que sabemos que não irão atender nossos pleitos. Mas, pelo menos não poderão dizer que não sabiam do que se tratava”, afirmou.

Miguel disse também que, em outubro os trabalhadores terão uma grande chance: escolher os candidatos comprometidos com a classe trabalhadora, e que aqueles que mostram-se contrários aos interesses dos trabalhadores sejam derrotados nas urnas. “Não dá para aguentar esta situação pela qual o País atravessa, com treze milhões de desempregados. O ato, realizado em frente à Fiesp, tem um simbolismo, pois este local é a marca do capitalismo e da reforma trabalhista”, enfatizou.

Já João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Força, ressaltou a importância da manifestação feita não só na Avenida Paulista, mas em vários bairros de São Paulo e em outros Estados, além da unidade das centrais. Ele lembrou, ainda, que 2018 é um ano importante. “Precisamos ter consciência de que é necessário votar em candidatos comprometidos com os trabalhadores”, afirmou.

Sérgio Luiz Leite, 1º secretário da Força, também citou os protesto realizados pelas categorias e as assembleias nas portas de fábricas, onde foram debatidos o desemprego, a crise econômica e a retirada de direitos. “Mostramos sempre que o Brasil tem jeito, mas é preciso votar com consciência em candidatos que representam os trabalhadores”, falou.

“O Dia do Basta marca a forma como entendemos que os trabalhadores devem ser tratados: com cidadania. Os treze milhões de desempregados têm rosto: são os negros, mulheres e moradores da periferia. Queremos um País mais justo”, afirmou Mônica Veloso, vice-presidente da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos).

A secretária da Mulher da Força, Maria Auxiliadora dos Santos, observou que “a reforma prejudicou os trabalhadores. As categorias, especialmente as que estão em campanha salarial, enfrentam a pressão dos empregadores para a retirada de direitos, mas vamos continuar lutando para impedi-los”.

Clique aqui e veja fotos do ‘Dia do Basta’, organizando pelas centrais sindicais, em defesa do Emprego, da Aposentadoria e dos Direitos Trabalhistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *