Dirigentes das centrais criticam a criação do Comitê do Trabalho

Fonte: Assessoria de imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo

Sindicalistas entregam Agenda Prioritária ao ministro

A convite do Ministério do Trabalho, os presidentes da Força Sindical, Miguel Torres; Nova Central, José Calixto; UGT, Ricardo Patah; CSB, Antonio Neto; CTB, Adilson Araújo, reuniram-se na terça-feira (7), em Brasília, com o ministro Caio Vieira de Mello.

O objetivo do encontro era reafirmar a parceria do Ministério com as Centrais e conhecer os seus presidentes. Mas, no encontro, os dirigentes sindicais criticaram a portaria do Ministério, que criou o Comitê de Estudos Avançados Sobre o Futuro do Trabalho, publicada no último dia 6, no Diário Oficial da União.

“O Comitê foi criado para tratar de questões ligadas à proteção do trabalhador, urnbano e rural, diante da automação e não teve conversa com as centrais”, disse Miguel Torres.

Representantes de vários outros órgãos, inclusive do setor patronal, vão compor o Comitê. Miguel Torres lembrou também ao ministro que existe o Conselho Nacional do Trabalho, tripartite, que também não foi ouvido.

Segundo Miguel, o ministro disse que vai corrigir esta questão e envolver o Dieese e representantes das centrais.

Agenda Prioritária – No encontro, os dirigentes entregaram ao ministro a Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora, documento com propostas para a retomada do desenvolvimento e combate ao desemprego e defenderam que o Ministério do Trabalho precisa voltar a ser protagonista da defesa dos direitos da classe trabalhadora, das condições de trabalho, na luta pela geração de emprego e inclusão social.

Comitê: Integram o Comitê representantes dos Ministérios do Trabalho, da Indústria e Comércio, da Casa Civil, Ministério Público do Trabalho, OAB, CNI, Ipea, Paulo Roberto Brito Pereira (sindicalista), entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *