Greve de ônibus em Mongaguá será parcial

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região

Transporte urbano continuará parado, mas o de estudantes da rede pública voltará ao normal

Em assembleia na noite deste sábado (14), os 61 trabalhadores da empresa Beira Mar, responsável pelo transporte coletivo urbano e de estudantes em Mongaguá, decidiram manter parcialmente, na segunda-feira (16), a greve iniciada na sexta (13), contra os salários atrasados de setembro.

Como a empresa garantiu que adiantará R$ 350 de cada empregado ainda neste domingo (15), e pagará o restante na segunda-feira, junto com o vale-refeição que vencerá no mesmo dia, permanecerão paralisados apenas os 12 ônibus que transportam 12 mil passageiros urbanos por dia.

Os 14 destinados ao transporte de 600 alunos da rede pública de ensino, porém, voltarão a circular. O vice-presidente do sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários de Santos e região, José Alberto Torres Simões ‘Betinho’, explica que os motoristas dos veículos urbanos permanecerão na garagem até o depósito do restante dos salários e do vale refeição.

Se isso não acontecer, explica o sindicalista, os motoristas dos ônibus escolares retomarão a greve, junto com os demais. Na quinta-feira (19), a diretoria do sindicato e os trabalhadores terão reunião com os proprietários da empresa. “Queremos sanar todos os problemas”, adianta Betinho.

É a segunda vez, em pouco mais de 30 dias, que os 41 motoristas, sete trabalhadores de manutenção, cinco administrativos, quatro de fiscalização e quatro de limpeza paralisaram os serviços.

O pagamento deveria ter sido feito no quinto dia útil (6) de outubro, sexta-feira da semana retrasada. A greve de setembro, entre os dias 6 e 11, foi motivada ainda por atraso no pagamento do vale-refeição e da cesta-básica. A categoria também parou em 13 de março, contra salários atrasados.

O movimento deste mês tem dois agravantes, segundo ‘Betinho’: dez funcionários sem registro em carteira e falta de depósito do fgts (fundo de garantia por tempo de serviço).

A assembleia que seria na segunda-feira aconteceu no final da tarde deste sábado. A garagem, onde se concentram grevistas e sindicalistas, fica na Avenida São Luís, sem número, no pé da serra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *