Presidente estadual da Força Sindical traz informações sobre a Reforma Trabalhista

Fonte: Michele Masotti

No último dia 14 de setembro o Coordenador da Regional Campinas, Paulo Ritz, esteve reunido com o presidente estadual da Força Sindical, Danilo Pereira, e com o presidente da Fetercesp, Carlos Freitas, para tratar de assuntos relacionados à Reforma Trabalhista.

Na terça-feira anterior as centrais sindicais participaram de uma audiência com o presidente Michel Temer e alguns ministros em Brasília. Na oportunidade eles apresentaram propostas emergenciais para a retomada do emprego no País e trataram também da Medida Provisória que tem como objetivo minimizar os efeitos da Reforma e recuperar a força e a autonomia das entidades sindicais na luta em defesa dos direitos dos trabalhadores.

O presidente estadual da Força Sindical, Danilo Pereira da Silva, trouxe informações exclusivas e atualizadas sobre a Reforma Trabalhista ao Sintercamp . Confira abaixo:

“Estamos propondo uma Medida Provisória para corrigir alguns pontos da Reforma Trabalhista. O objetivo é reduzir alguns danos, regulamentar a questão do trabalho intermitente, dar mais representação para os sindicatos, impedir os acordos individuais entre empresa e empregado, rever a criação das comissões de fábrica sem a participação do Sindicato na escolha dos membros. Nessa Medida Provisória estamos colocando a presença do Sindicato nesse processo, estamos brigando para que as homologações continuem sendo realizadas no Sindicato, para fortalecer o Sindicato enquanto negociador das questões coletivas, impedir contratos e jornadas prejudiciais aos trabalhadores, essa questão da gestante em local insalubre, entre outros pontos. Com relação à contribuição sindical que foi extinta, nossa proposta é estabelecer uma taxa assistencial para a negociação”, afirmou Danilo.

“Estamos abordando vários pontos que poderíamos tirar para fortalecer a participação do Sindicato e não deixar o trabalhador tão vulnerável. Essa foi a nossa discussão na reunião de terça-feira, estávamos esperando que o presidente Temer já se comprometesse em editar essa Medida Provisória e o deputado Paulinho já conversou com as lideranças sobre a importância dela. O que vemos é que a Reforma Trabalhista que vai entrar em vigor em novembro tem preocupado praticamente todas as categorias de trabalhadores, mas como existe um diálogo com o governo, vamos continuar buscando alternativas para impedir que as empresas coloquem em prática a nova legislação e que a classe trabalhadora seja penalizada”, acrescentou Danilo.

“Independente da Reforma, também tiramos um documento com a participação de todas as centrais, com exceção da CUT, com algumas medidas emergenciais para a retomada do desenvolvimento e geração de emprego. As medidas incluem a reativação de obras inacabadas do PAC, a facilitação de crédito para as pessoas físicas e micro e pequenas empresas, aumento de 5 para 7 parcelas do Seguro-desemprego etc. São alguns pontos que podem ser colocados em prática agora e outros para médio e longo prazo. Nesse aspecto fomos bem recebidos, a pauta foi aceita e foi formada uma comissão para o acompanhamento dessas ações que nós, enquanto centrais, propomos”, finalizou Danilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *