Trabalhadoras exigem punição rigorosa para estuprador

A Secretaria da Mulher da Força Sindical repudia veementemente o estupro de menina de dezesseis anos no Rio de Janeiro, atacada por mais de trinta marginais “travestidos de homens” e exposta em vídeo divulgado pela internet. Não bastasse o crime brutal praticado contra a jovem, nós, mulheres, assistimos estarrecidas as notícias de que o episódio ainda seria ridicularizado nas redes sociais.

Causa espanto ver que, em pleno século 21, pessoas jovens pratiquem este crime hediondo, mesmo com a ampla disseminação das informações sobre a violência contra a mulher.

É estarrecedor que jovens sintam-se livres para cometer crimes desta natureza e, ainda, publicar nas redes sociais, como se estivessem expondo um troféu, tal a sensação de impunidade e, portanto, de poder fazer o que bem entendem.

Já realizamos muitas campanhas, manifestações e passeatas incentivando as mulheres a denunciarem este tipo de crime, para tentar inibir aqueles que tenham a intenção de praticá-los, mas apenas estas ações, infelizmente, não são o bastante. É preciso mudar toda a cultura “machista” disseminada no País, de que o homem pode subjugar a mulher porque sempre que ficará impune.

Lutaremos para que todos sejam julgados e condenados. E para que todos sejam encarcerados por um período bastante longo, apesar de isto não ser suficiente para abrandar o horrendo crime cometido.

Maria Auxiliadora dos Santos,
Secretária Nacional da Mulher da Força Sindical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *