Trabalhadores fecham bom acordo na Pepsico

Fonte: Assessoria de imprensa da Força Sindical

Mas funcionários da Dr. Oetker continuam a greve

Os trabalhadores da indústria de salgadinhos Pepsico Lucky, situada em Itaquera, conquistaram reajuste de 2,5%, que inclui aumento real de 0,80 ponto percentual. “Foi um excelente acordo”, disse Paulo Henrique Viana da Cruz, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de São Paulo.

Segundo ele, o Sindicato da Alimentação tem data-base em 1º de maio e teve cinco reuniões com o setor patronal sem chegar a um acordo. “Avisamos aos empregadores que publicaríamos o edital de greve na sexta-feira e fizemos isso. Cumprimos o rito de 72 horas do prazo do edital e na quarta-feira instauramos a greve. Paralisamos três empresas: a Pepsico, a Dr Dr. Oetker e a Camil Alimentos. Das três, duas ficaram paradas por mais de um dia. E a Pepsico entendeu que podia usar a prerrogativa da reforma trabalhista e fechou conosco um acordo coletivo. Resolvemos nesse acordo, as cláusulas econômicas. As cláusulas sociais, vamos usar da Convenção Coletiva”, declarou.

Com o fechamento do acordo, acabou a greve iniciada na quarta-feira. Segundo o diretor de base Gilberto Ramos, o adicional noturno será reajustado em 35% (a lei fixa 20%), o que beneficia cerca de trezentos funcionários. A cesta básica passou de R$ 215 para R$ 250, e será dada também para funcionários afastados até seis meses e gestantes. Café da manhã gratuito.

Dr. Oetker

A greve continua hoje, dia 20, na indústria Dr. Oetker, na Zona Oeste. O diretor do sindicato, José Ailton de Souza Pereira, afirmou que a empresa não quer negociar e o caso será levado para a audiência de Conciliação hoje, às 15 horas, no TRT (Tribunal Regional do Trabalho).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *